Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CLUBE AMADOR DE MIRANDELA - CAMIR

Fundado a 7-7-1982. Atletismo, xadrez, hóquei, beach tennis, montanhismo e BTT são as modalidades praticadas actualmente no clube. Tem no seu historial 22 títulos de campeão nacional e 12 atletas internacionais, totalizando 72 internacionalizações.

Fundado a 7-7-1982. Atletismo, xadrez, hóquei, beach tennis, montanhismo e BTT são as modalidades praticadas actualmente no clube. Tem no seu historial 22 títulos de campeão nacional e 12 atletas internacionais, totalizando 72 internacionalizações.

CLUBE AMADOR DE MIRANDELA - CAMIR

02
Jan08

REGULAMENTO INTERNO

evpa

REGULAMENTO INTERNO

 

CAPITULO I

 

DENOMINAÇÃO, FINS E SEDE

 

Artigo 1.º – CLUBE AMADOR DE MIRANDELA, é uma colectividade cultural, social e desportiva, fundada em 7 de Julho de 1982 e tem a sua Sede no Bairro Fundo de Fomento de Habitação, Bloco 1-cave, em Mirandela – Apartado 175, 5370-909 MIRANDELA.

 

Artigo 2.º – A Associação tem por fim desenvolver actividades de carácter cultural, social e desportivo.

 

CAPITULO II

SÓCIOS

 

Artigo 3.º – A Associação tem as seguintes categorias de sócios:

             Efectivos e Auxiliares

 

Artigo 4.º – São sócios efectivos os maiores de 18 anos que requeiram a sua admissão para usufruírem de todos os direitos e ficam sujeitos a todos os deveres estatutários.

a) Só os sócios efectivos que tenham condições de se inscrever no INATEL e que sejam moradores no Concelho de Mirandela, gozam dos direitos e regalias dos CCDs, nos termos do artigo 5.º do Regulamento dos Centros de Cultura e Desporto.

 

Artigo 5.º – São sócios auxiliares os menores de 18 anos que, não sendo sócios efectivos, voluntariamente contribuam com uma quota para a Associação.

 

Artigo 6.º – Os sócios efectivos tem os seguintes direitos:

a) Propor e discutir em Assembleia-geral as iniciativas, os actos e os factos que interessam à

vida da Associação;

b) Votar e serem votados em eleição dos Corpos Gerentes;

c) Requerer a convocação extraordinária da Assembleia nos termos estatutários;

              d) Propor novos sócios.

 

Artigo 7.º – Os sócios efectivos tem os seguintes deveres:

a) Pagar regularmente as quotas, conforme o prazo e importância determinados pela Assembleia;

b) Exercer os cargos para que sejam eleitos;

c) Acatar as decisões dos corpos gerentes;

d) Assistir às reuniões da Assembleia-geral;

             e) Actuar de maneira a garantir a eficiência, a disciplina e o prestígio da Associação.

 

Artigo 8.º – Os sócios auxiliares tem todos os direitos e deveres dos sócios efectivos, excepto:

a) Votar e serem votados em eleição dos corpos Gerentes;

b) Praticar actividades que por regulamentação interna lhes sejam vedadas;

c) Quando do exercício desses direitos resulte serem preteridos os direitos de sócios efectivos.

 

CAPITULO III

ORGÃOS

 

Artigo 9.º – São órgãos do Clube Amador de Mirandela: a Assembleia-geral, a Direcção e o Conselho Fiscal, eleitos por um período de 2 anos.

 

Artigo 10.º – A Assembleia-geral é a reunião de sócios efectivos no pleno gozo dos seus direitos.

 

Artigo 11.º – As reuniões da Assembleia são orientadas por uma mesa, composta por um Presidente,

um Vice-Presidente e um Secretário.

 

Artigo 12.º – Compete à Assembleia-geral todas as deliberações legais ou estatutárias de outros órgãos

da Associação.

 

Artigo 13.º – A Direcção é composta por um Presidente, um Vice-Presidente, um Tesoureiro, um secretário e um Vogal.

 

Artigo 14.º – Compete à Direcção fazer a gestão de toda a actividade da Associação, tendo em conta a prossecução das suas finalidades.

 

Artigo 15.º - O Conselho Fiscal é composto por um Presidente, um Secretário e um Relator.

 

Artigo 16.º - Compete ao Conselho Fiscal fiscalizar os actos da Direcção e examinar a escrita com regular periodicidade.

02
Jan08

HISTORIAL DO CLUBE

evpa

É uma associação desportiva, recreativa e cultural. Tem sede no Bairro do Fomento, bloco 1, cave. Filiado no INATEL e nas Federações de Atletismo, Xadrez, Hóquei e Beach Tennis, estando para breve a sua inscrição na Federação de Montanhismo.

O clube surge para ser alternativa ao futebol profissional, para onde eram dirigidos, na altura, todos os apoios, fomentando as modalidades praticadas por atletas amadores. No ano inicial houve uma grande adesão da população que se associou em massa a este clube.

No dia 7 de Julho de 1982, compareceram no notário para constituir o clube, sendo sócios fundadores: Manuel Luís Rodrigues da Silva, José Manuel Fernandes, José Fernando Sequeira Rodrigues, Fernando Henrique Reimão Roxo, Firmino António da Silva Campos, José Carlos Perdiz Martins, Manuel José Rodrigues, José Henrique Varela Rodrigues, José Carmona Figueiredo da Luz, Manuel João Morais Araújo, Albino José Trindade, Alfredo dos Santos Fernandes, António Soares Ferreira e José Almor Branco. Os objectivos são: promover a educação física dos seus associados; fomentar e promover acções de natureza recreativa, desportiva e cultural e outros fins a especificar.

Passa, actualmente, por um processo de reestruturação dos sócios, dado o grande período de inactividade por que passou, reaparecendo em 2004 e elegendo os corpos gerentes em 2005, que aprovaram que os sócios pagariam uma mensalidade de 1€ e de jóia 5€, isentando de jóia aqueles que eram sócios, na 1ª fase do clube.

O clube desde a sua fundação até 1990, altura em que o clube entrou em inactividade, fomentou a prática de várias modalidades. O atletismo foi a que atingiu maior destaque, tanto em número de praticantes como em resultados obtidos. Paulo Machado venceu inúmeras provas, tanto a nível nacional como internacional, acabando por ingressar no Boavista, onde continuou a carreira. Cristina Ruivo transferiu-se para o Benfica. Francisco Carneiro e Lucindo Taveira também se destacavam. Em baixo, foto da equipa de atletismo em 1984.


Basquetebol (a equipa feminina deu nas vistas), ténis de mesa, voleibol (participação na 3ª divisão nacional), ténis, badmington e até hóquei em patins foram as outras modalidades praticadas no clube, nessa época.

Em Assembleia-geral extraordinária realizada no dia 13 de Janeiro de 2005, na Reginorde, foram eleitos, os actuais corpos sociais: Assembleia-geral – Presidente: António Soares Ferreira, Secretário: Fernando Ceriz e Vogal: Mário Telmo Morais. Direcção – Presidente: Victor Júlio Moreira Magalhães, Vice-presidente: Paulo Nogueira Pedroso, Tesoureiro: Carlos Jorge Jacinto, Secretário: Eduardo Libório e Vogal: Maria Rosa Bahamonde Alves. Conselho Fiscal – Presidente: Fernando Neves, Relatores: Rafael Ferreira e Sabino José Videira Gabriel.

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D